Dor CabeçaDor de cabeça, acompanhada de vômitos, náuseas, pele e olhos amarelados e sangramentos são alguns dos sintomas da febre amarela. Um dos mosquitos transmissores da febre é o Aedes Aegypti, que também é o causador da dengue. E é o flavivírus, o causador da febre amarela. Eles são comuns na África, América Central e América do Sul.

Os maiores locais de epidemias são nos países africanos, mais precisamente na zona central do continente. No Brasil, a febre ataca todas as regiões, entretanto, mais fortemente nas áreas silvestres como as encontradas na região norte. Se um mosquito atinge um macaco e, logo depois um ser humano, a doença será transmitida com certeza. Outra forma, é por meio da picada de um desses mosquitos: aedes aegypti, nas áreas urbanas e haemagogus, nas zonas silvestres.

A vacina contra a febre amarela é eficaz e tem a validade de dez anos. Ela é disponibilizada gratuitamente nos postos de saúde. O Ministério da Saúde costuma dar orientações para os viajantes daqui e, principalmente, dos que vêm do exterior.

O Brasil recomenda a vacinação aos que se destinam às zonas de mata. Alguns países da América do Sul e da África, cobram um certificado, chamado de Certificado de Vacinação – CIV, da cor amarela.

Para quem viaja rumo à África ou alguns países da América do Sul, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, disponibiliza, nos guichês encontrados em aeroportos, portos, passagens de fronteiras ou nas Sedes da Coordenação, a troca do cartão CIV. Apenas o portador do cartão é que pode solicitar a troca do mesmo e deve estar portando o documento oficial com fotografia: Carteira de Identidade, Passaporte ou Cédula Profissional (OAB, CRM, CREA e etc.). Os menores de idade devem apresentar, caso não tenham a carteira de identidade, a Certidão de Nascimento. 

A febre amarela apresenta sintomas muito semelhantes aos da gripe. No entanto, se tratar em casa, sem ao menos ir ao médico, é uma escolha que pode acarretar em morte, caso seja a febre. Por isso, de acordo com o Ministério da Saúde, alguns sintomas mais comuns da doença são: febre alta e calafrios, mal-estar, vômitos, dores no corpo, peles e olhos com icterícia (amarelados), sangramentos (gengiva, estômago, nariz, etc.), fezes mais escurecidas e diminuição da urina.

Uma das dicas que o Ministério da Saúde disponibiliza é: se o indivíduo observar que há, no respectivo local onde ele esteve, a presença de primatas não humanos mortos ou doentes, deve contatar a autoridade de saúde mais próxima, pois as pessoas não imunizadas podem adquirir a doença.

A febre amarela é muito perigosa, uma vez que não existem tratamentos específicos dessa doença. Há formas de prevenção, que são bem eficazes e de longa duração. O Ministério adverte que devem ser tomados os mesmos cuidados que se têm em relação à dengue. O melhor a fazer é, no caso da manifestação dos sintomas, ir ao médico e informá-lo sobre o caso. E sempre lembrar de dizer se viajou, ou não, antes de sentir alterações.

O que é Febre Amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa provocada pelo Arbovírus do gênero Flavivírus (vírus da doença). Ela se manifesta em áreas de cerrados e florestas. No Brasil, é mais comum a manifestação dela na região norte. A doença ocorre tanto nas zonas rurais quanto nas cidades. A febre se propaga através do mosquito chamado Haemagogus ou mesmo do Aedes Aegypti – o também transmissor da dengue. A febre amarela ocorre nas zonas tropicais, bastante encontrado no continente africano, na América do Sul e América Central.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, não há casos da febre, em áreas urbanizadas, desde a década de 1940. No Brasil, pesquisadores desenvolveram uma vacina bastante eficaz e sua validade dura cerca de dez anos. A febre amarela não pode ser transmitida de pessoa para pessoa, apenas através da picada dos mosquitos Aedes Aegypti ou Haemagogus. O vírus se mantém por intermédio dos macacos, que contribuem para o ciclo dos agentes causadores.

Uma vez que o indivíduo é picado pelo transmissor da febre amarela, a vítima estará fadada a sintomas totalmente desagradáveis. Sangramentos de partes do corpo, tanto internas quanto externas, alguns enjoos e outros. O nome febre amarela é devido a coloração dos olhos e da pele, por meio de icterícia (doença caracterizada por certa amarelidão na pele e na membrana externa branca do olho, chamada esclerótica).

A febre amarela é uma doença que causou muitos transtornos, principalmente no ramo das ciências. Ela foi o motivo de vários debates e bastante polêmica entre os especialistas. Todavia, após estudos avançados, munidos de novidades técnicas da área da biologia molecular, os pesquisadores descobriram que a doença originou-se na África.

Os primeiros registros de doenças com características semelhantes as da febre amarela, surgiram em meados do século XVII, nos escritos da cultura maia, em 1648, na cidade de Yucatan, no México. Outro caso, agora confirmado, foi na Europa, onde a febre virou epidemia, em 1730, na região que, hoje, pertence à Portugal e Espanha. Na época, houve mais de 2000 mortes por causa da febre amarela.

A doença também chegou ao país norte americano; porém, nos séculos XVIII e XIX. Aconteceram diversos surtos da epidemia da febre amarela no país norte-americano. O vírus chegou no país através das embarcações que chegavam à costa, vindos dos países asiáticos, como também, do Caribe.

No Brasil, a procedência desses casos se dá mais nas regiões silvestres – uma vez que nas áreas urbanas, a febre amarela foi erradicada em 1942, quando houve o último caso da epidemia, na região norte, no estado do Acre. A febre voltou a ameaçar no final da década de 70, quando um dos mosquitos transmissores, o Aedes Aegypti, voltou para o país.

De acordo com o Ministério da Saúde, a febre amarela é uma doença letal. Dos 662 casos confirmados da epidemia, no período entre 1980 a 2004, foram 339 mortes, ou seja, mais de 50% das ocorrências levaram pessoas a óbito. Por isso, a doença deve ser tratada com seriedade.

Vacina de Febre Amarela

Sintomas Febre AmarelaAlguns dos sintomas apresentados pela febre amarela são parecidos com o da gripe, tais como: dor de cabeça, cansaço, dores musculares e etc. A doença causada através do mosquito Aedes Aegypt ou do Haemagogus, possui uma maneira eficaz de prevenção, a vacina. Todos os postos de saúde oferecem sua aplicação gratuitamente. Além disso, o governo disponibiliza também em aeroportos, portos e nas fronteiras, nas salas especializadas.

Com um cartão de vacina, o indivíduo pode controlar o tempo, e precisa estar atento para receber o benefício. A vacina contra febre amarela é válida por dez anos e é muito segura. Além disso, ela é super tranquila, pois não existem restrições para o uso de outros medicamentos, após receber a vacina. Uma vez que a pessoa foi vacinada, ela não deve se preocupar com a febre, pois a proteção possui 100% de segurança. Porém, ela provoca algumas reações adversas, que são: dores de cabeça, febre e mal estar – mas lembrando que há possibilidades de acontecer, não em todos os casos.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a vacina é indicada para as pessoas que vivem em áreas de risco. Nas zonas silvestres, é comum a circulação de vírus entre os animais, principalmente os macacos. Na região norte, parte do nordeste, sul e centro-oeste, são locais suscetíveis à epidemia. Por isso, a recomendação é tomar a vacina ao viajar para esses estados e ao exterior.

Tratamento da Doença

No caso de pessoas que adquiram a febre amarela, o tratamento deve ser feito, obrigatoriamente, em um hospital, para que o quadro não se agrave, pois a doença leva à morte em mais de 45% das situações, segundo o Ministério da Saúde. O paciente precisa estar isolado, mais por causa do mosquito e não pelas pessoas, pois a doença não passa de pessoa a pessoa. Essa prevenção é para que a doença não se espalhe.

A febre amarela é tratada sintomaticamente, isto é, de acordo com os sintomas manifestados no paciente. A doença não pode ser tratada em casa, porque um dos agravos causados por ela é a alteração da função do fígado. Então, isso restringe o uso de muitos medicamentos metabolizados por ele. Por exemplo, no início, a febre pode ser confundida com outras patologias como: malária, gripe e infecção respiratória, devido à semelhança dos sintomas.

O tratamento se dá à base de antitérmicos, que não utilizam o ácido acetilsalicílico (aspirinas), pois esses aumentam os riscos de sangramentos causados pela febre amarela. Existe uma forma bem prática de prevenção. Se você não quer ser vítima dessa doença, siga algumas instruções, abaixo.

Como Combater o Mosquito da Febre Amarela?

Existem dois mosquitos responsáveis pela transmissão da febre amarela, um que atua nas zonas silvestres e o outro que atua nas zonas urbanas. O Haemagogus é o inseto que contamina os animais, das florestas, cerrados e afins. O Aedes Aegypti, o mesmo da dengue, espalha o vírus da febre amarela nas zonas urbanas. Mas, como acabar com eles? Nas áreas urbanizadas é muito mais fácil que nas rurais e silvestres.

Abaixo, seguem algumas dicas de como evitar que haja uma epidemia.

  • Trocar a água dos vasos e plantas e substituir por terra;
  • Usar água tratada juntamente com cloro, cerca de 40 gotas de água a 2,5% para cada litro;
  • Limpar as calhas do telhado, a fim de que não possa acumular água;
  • Não deixar a água acumular em pneus, garrafas, caixas d'água, cisternas, barris e filtros.

Epidemiologia da Febre Amarela

MacacoAs áreas endêmicas da febre amarela são o continente africano e a América do Sul. A febre amarela é transmitida por meio de um vírus. Por essa causa, ela pode ser espalhada por meio de outros insetos que se alimentam de sangue. Caso o mosquito pique um macaco e, em seguida, o faz em um humano, certamente esse estará infectado. A febre amarela é bem comum nas áreas de cerrado e florestas. O Brasil possui grande parte de seus biomas desse modelo, portanto, é fácil a contaminação aqui. Da mesma forma, nos países da África.

O Brasil é atingido, na maior parte, na região norte. Mas a febre amarela pode ocorrer no nordeste, partes pertencentes ao Maranhão; na região centro-oeste, em sua totalidade; no sul e sudeste, pequenas faixas. Um fato interessante é: nos mesmos lugares onde acontecem epidemias de febre amarela, também estão vulneráveis às epidemias de malária. Essa doença, que também é transmitida através de um mosquito, tem seus sintomas bem semelhantes aos da febre amarela. Por isso, não deixe de procurar um especialista.

Dúvidas Sobre Febre Amarela

1) Uma pessoa pode ingerir bebida alcoólica depois de tomar a vacina, sem que haja qualquer tipo de problema?

Não existe problema de misturar os dois elementos.

2) Quem recebe a vacina pode ingerir outro medicamento, um remédio controlado, por exemplo?

Você pode tomar seus remédios normalmente, pois não há uma contra indicação em relação a isso.

3) Depois que o indivíduo receber a vacina, será que posso movimentar meu braço livremente, carregar peso, por exemplo?

Não carece de preocupação, quanto aos movimentos executados.

4) A validade da vacina de febre amarela equivale a dez anos. Se, por acaso, eu não recordar a última vez, e esse intervalo for de menos que dez anos, devo tomar a vacina?

Os especialistas recomendam: na dúvida, é melhor se vacinar.

5) Quais os efeitos colaterais que a vacina provoca?

Há possibilidades de reação onde ela foi injetada, juntamente com febre e mal estar. Porém, dificilmente acontece.

6) Um bebê pode tomar a vacina? Em caso positivo, a partir de que idade? 

Após os seis meses de idade, o bebê pode ser vacinado.

7) Por que o nome da doença é febre amarela? Tem algum motivo a escolha da cor?

Febre amarela, recebe esse nome devido à icterícia. Ela consiste em uma coloração amarela que aparece na pele e também na região dos olhos.

8) Quem possui a imunidade baixa pode tomar a vacina?

Os médicos não recomendam a vacina para pessoas com baixa imunidade.

9) Quem contraiu a febre amarela recentemente, mas teve alta, pode tomar?

Isso depende da avaliação do seu médico.

10) As grávidas podem receber o benefício da vacina?

Não podem, pois a vacina contém contra indicações nesse aspecto.

11) Quem está na tentativa de engravidar, pode tomar?

Não é recomendável, uma vez que quem tenta engravidar já pode estar grávida.

12) Se uma pessoa voltar de viagem, por exemplo, de uma região em estado de alerta, com quais sintomas devo me preocupar?

Nesse caso, se aparecer febre, dores de cabeça, dores no corpo e dores musculares, procure um médico.

13) É feita uma verificação no sangue para a detecção do vírus. Qual é o tempo de demora para sair o resultado do exame?

O exame não é tão simples, pois mexe com isolamento do vírus da febre amarela. Por isso, leva cerca de 15 dias para sair o resultado; porém, existe um outro que é a sorologia e dura 48 horas.

14) Existe transmissão de pessoa para pessoa?

Não.

15) É preciso fazer jejum ou me abster de bebidas alcoólicas antes tomar a vacina?

Não existem contra indicações quanto a isso.

16) Se alguém perdeu o cartão de vacina, pode ainda tomar a vacina?

Sim. Sem problema.

17) As pessoas que possuem diabetes, hipertensão, até outra doença, podem receber a vacina ou há restrição?

Não existem restrições nesses casos.

18) Qual é a chance da pessoa que contraiu a doença morrer?

Isso depende da gravidade do quadro. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, houve casos, nos últimos dez anos, de cerca de 50% de letalidade.

19) No caso das pessoas que não podem se vacinar, o que fazer para se prevenir?

O melhor a fazer é procurar um médico. Mas, se essa pessoa morar em zonas silvestres, onde o mosquito não pode ser controlado, é necessário reforçar o uso dos repelentes.

20) Quando que acontece uma epidemia?

A epidemia se dá quando o mal atinge várias áreas.

Fonte: Ministério da Saúde